Auto-Estima



 A auto-estima tem um papel relevante na nossa vida. Os nossos êxitos e fracassos, a satisfação connosco próprio, o bem-estar psicológico e as relações interpessoais e afetivas estão todos interligados com a nossa auto-estima.
  
 
A auto-estima é um sentimento que faz com que a pessoa goste de si mesma, aprecie o que faz e aprove as suas atitudes, e tem como finalidade manter a pessoa em equilíbrio, serenidade, felicidade, e manter uma boa interacção do seu mundo interno com o mundo externo (meio ambiente). 
 
 
Quando uma pessoa se sente insegura para enfrentar os seus problemas, se não tem confiança nas suas próprias ideias, ela apresenta uma auto-estima baixa. Ou, então, se falta à pessoa respeito por si mesma, se ela se desvaloriza e não se sente merecedora de amor e respeito por parte dos outros, se acha que não tem direito à felicidade, se tem medo de expor as suas ideias, vontades e necessidades, novamente revela uma auto-estima baixa.
 
 
Muitas vezes a auto-estima é confundida com egoísmo. Egoísta é aquela pessoa que quer o melhor, e quase sempre no sentido material, somente para si, não se importando com os outros. Quem possui uma auto-estima elevada quer o melhor para si e para os outros também.
 
  
A auto-estima fortalece, dá energia e motivação.
 
 
Quanto maior a nossa auto-estima, mais queremos crescer, não necessariamente no sentido profissional ou financeiro, mas dentro daquilo que esperamos viver durante a nossa vida como o emocional, criativo e espiritual. Quanto mais baixa é a nossa auto-estima, menos desejamos fazer, e é provável que menos possamos realizar. 
 
 
Uma pessoa com auto-estima não tem vergonha de dizer, "Eu estava errado".
 
 
É mais provável encontrarmos simpatia e compaixão, em pessoas com auto-estima elevada do que nas de baixa auto-estima; o relacionamento com os outros tende a espelhar e refletir o relacionamento connosco próprio.
 
  
O que causa a baixa auto-estima?
  
· Falta de “perdão”: É quando a pessoa não consegue livrar-se de dúvidas emocionais, como abandono, vítima de uma injustiça, etc. 
 
 
· Auto-imagem negativa: É quando a pessoa não vislumbra aspetos positivos em si, acha que não tem capacidades nem beleza física. 
 
 
· Indecisão: É quando a pessoa não sabe o que fazer, que rumo tomar. O "ego" é invadido por dúvidas, angústia etc. 
 
 
· Mágoa, ira: Uma pessoa que se diz magoada, na verdade está a dizer que não consegue aceitar determinados acontecimentos. Isso requer um esforço energético muito alto e quase sempre deixa a pessoa sem reservas. Daí a apatia e o desânimo. 
 
 
Quais são as consequências da baixa auto-estima?
 
· Neutraliza o nosso potencial: a pessoa não se sente capaz de conseguir realizar determinados objetivos ou tarefas, não há crescimento. 
 
 
· Impede os sonhos: a pessoa não consegue projetar-se mais no futuro de forma construtiva.
 
  
· Prejudica a relação interpessoal: o relacionamento com o outro é precário.
 
  
Como promover a auto-estima?
  
Ø Abrace;

Ø Dê sorrisos verdadeiros;

Ø Faça elogios verbais simples e diretos;

Ø Faça companhia a alguém que você estime;

Ø Olhe para as pessoas nos olhos;

Ø Saiba perdoar a si e aos outros;

Ø Não adie uma alegria;

Ø Dê às pessoas uma segunda oportunidade.
 
  
Ter uma boa auto-estima é fundamental para a nossa vida pessoal, profissional e social. A auto-estima influencia o nosso rendimento, condiciona as nossas expetativas e motivação e principalmente contribui para o nosso equilíbrio e saúde mental.
 
 
Texto escrito por Carolina Violas, Psicóloga Clínica

Sem comentários:

Publicar um comentário