Novo Serviço: Psicologia da Imagem e Inteligência Vestimentar


A nossa imagem pessoal e profissional  é marcada por inúmeras alterações ao longo da nossa vida como a nossa situação profissional, a morfologia do nosso corpo (gravidez), patologias, etc.

Albert Mehrabian (PEASE, 2005, p. 17), na década de 1950 constatou que em toda a comunicação interpessoal cerca de 7% da mensagem é verbal (apenas palavras), 38% é vocal incluindo tom de voz, inflexão e outros sons e 55% é não-verbal.

A comunicação não-verbal deve ser percebida como toda a comunicação que é efetuada através de múltiplos canais que estão para além das palavras, como gestos que fazemos, as nossas micro expressões, a nossa postura, a nossa imagem, o que vestimos e como vestimos, as cores que usamos, o nosso cheiro, entre outras coisas.

Sabendo que o vestuário  é uma forma de comunicação, por muito que se procure negar, o que vestimos tem uma carga de simbolismos que vão ser descodificados pelos nossos interlocutores, que os vão aceitar ou rejeitar. O vestuário é, por isso também uma forma de integração social e profissional. Vestir de forma profissional pode-nos conduzir à promoção que tanto desejávamos.

A inteligência vestimentar faz parte das competências não verbais, é a capacidade de saber qual a imagem que pretendemos projetar em diferentes contextos quer pessoais quer profissionais.

Sem comentários:

Enviar um comentário